Fheluany Nogueira
Literatura e Emoção
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


     Saudade
 
 
Em abandono, perdi-me no escurecer,
entre sombras e imagens,
arrastada pelas ondas de perfume...
Vagalumes já vagam,
a várzea regurgita,
ouço o canto dos sapos.
 
Doce e estranho jardim!
Os canteiros eram grandes quadrados
ou triângulos de flores vívidas,
coloridas: vermelhas,
amarelas e brancas, lilases,
o verde de entremeio...
 
Ah!  do amor vem a saudade,
puramente paisagística e delimitada,
à geometria da praça.
Há perfumes assim,
levam-nos para insólitas paisagens
e vivências fugazes...
 
Só vejo o horizonte,
um aperto largo
sobre o peito vazio,
levada para alamedas sem calçada,
cheia de folhas e flores,
onde não se sente mais a mágoa...


 
 
Fheluany Nogueira
Enviado por Fheluany Nogueira em 23/09/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários